Sarau dos Poetas Negros acontece a partir de abril com apresentações gratuitas

Projeto apresenta literatura negra do DF em dois diferentes formatos: para alunos de escolas públicas e para o público em geral em pontos de cultura.

Em seu primeiro ato, o Sarau dos Poetas Negros proporciona 1 rodada de leitura e 2 recitais por dia, durante 6 dias de evento, para alunos de escolas públicas de 3 RAs do Distrito Federal: 28/04, na Biblioteca Machado de Assis, em Taguatinga; 12 e 26/05, Biblioteca Carlos Drummond de Andrade, na Ceilândia; 09 e 23/06 no Colégio 01, no Guará.

Participam do primeiro encontro, nomes de peso da cultura literária, tanto locais e nacionais, como de atuação internacional – Cristiane Sobral, Mano Dáblio, Calila das Mercês, Pietra Sousa, Davi Mello e Arthur Scherdien.

Já no segundo momento, o encontro passa a abranger o público geral e transforma-se em Sarau da Poesia Negra. A mudança do nome acompanha a óbvia necessidade de evidenciar a questão de gênero, buscando intercâmbio com poetas negres, tendo apresentações e rodas de conversa gratuitas em Taguatinga, Samambaia, Asa Sul e Varjão. A programação exata do segundo ato será divulgada em breve.

Essa iniciativa integra o Circuito Candango de Culturas Populares, tem realização do Instituto Rosa dos Ventos de Arte, Cultura e Cidadania, da Uma Produtora Gestão de Projetos e conta com o fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal.

O diretor de cena, Jonathan Andrade, fala sobre o quão relevante é um evento desses nos dias de hoje: “o impacto de um projeto como o Sarau dos Poetas Negros traz possibilidades de novas escrituras poéticas no imaginário do DF. Surge outro lugar de pertencimento, quando conseguimos comungar e partilhar poéticas negras. E quem sabe assim, também provocamos e instigamos o público a conhecer diferentes artistas, a conhecer outras poéticas locais e fornecer novos locais de fala”.

Arthur Scherdien, poeta trans,  bacharel, licenciada e mestranda em artes cênicas também compartilha sua visão: “hoje temos abertura para colocar-nos em perspectiva poética preta por meio da escrita. Talvez seja uma das formas mais puras de dizer e de mostrar nossas potencialidades, por cima de qualquer outro movimento que tende a nos colocar para baixo. Termos travestis, transexuais, periféricos, pretos, pretas, pretes fazendo um trabalho almático e poético significa uma inversão colonial sobre quem somos, onde estamos e o que queremos fazer com a nossa arte.”

Interação entre poetas e alunas e alunos

Estudantes terão a oportunidade de vivenciar um contato amplificado com a poesia, uma vez que o sarau terá, além de rodas de bate-papo, leituras performáticas, interpretadas cenicamente por um elenco negro de atores e atrizes de Brasília. A ação segue um dos principais eixos do projeto, que é a educação antirracista de forma lúdica e interativa, de acordo com o previsto na Lei 10.639/03 – trata da inclusão obrigatória, no currículo oficial da Rede de Ensino, da temática História e Cultura Afro-Brasileira. Com isso, de acordo com a organização da iniciativa, a ideia é instrumentalizar esses e essas jovens, a fim de deixar um lastro de resistência evidente na formação de cabeças pensantes e atuantes em seu próprio futuro e no do país.

Inclusão Social

Ademais de voltar os holofotes para autoras e autores negres de Brasília, que ainda padecem de invisibilização por razões racistas, e oferecer novas experiências a outro público também discriminado, o alunado da rede pública, o sarau inclui em sua pauta a acessibilidade para pessoas com deficiência. Por essa razão, especialmente em sua sessão de abertura, contará com intérprete de libras e áudio descrição.

Sarau para todes

O momento de apresentar-se à comunidade candanga em geral terá recitais e rodas de conversa, distribuídas locais e datas a serem definidas. Todos os encontros acontecerão gratuitamente em locais fechados, como teatros ou pontos de cultura e em lugares abertos, como parques e praças.

Ainda, a partir do conceito de microfone aberto, a população será incentivada a ler seus escritos durante os intervalos das apresentações. Além disso, poderão participar das oficinas de Construção Poética e de Criação de Estêncil.  

Fonte: Assessoria de Imprensa do sarau

*Foto: Thaís Mallon

Serviço: Sarau dos Poetas Negros.

Email: saraudospoetasnegros@gmail.com.

Redes sociais: @saraudospoetasnegro.

Programação para a Rede Pública de Ensino

Taguatinga Centro:

  • 07/04 – Biblioteca Machado de Assis: Poeta Cristiane Sobral.
  • 28/04 – Biblioteca Machado de Assis: Poeta Mano Dáblio.

Ceilândia:

  • 12/05 – Biblioteca Carlos Drummond de Andrade: Poeta Calila das Mercês.
  • 26/05 – Biblioteca Carlos Drummond de Andrade: Poeta Pietra Sousa.

Guará:

  • 09/06 – Colégio Educacional 01: Poeta Davi Mello.
  • 23/06 – Colégio Educacional 01: Poeta Arthur Scherdien.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.